LOGO CIÊNCIA E CULTURA NA ESCOLA copernico03.jpg - 11534 Bytes








 SISTEMA SOLAR INFANTIL BÁSICO OPÇÃO ATUAL  AVANÇADO
SATURNO

 
     ÍNDICE

MITOLOGIA AS LUAS DE SATURNO OS ANÉIS DE SATURNO A MAGNETOSFERA
CONHECENDO SATURNO A EXPLORAÇÃO DE SATURNO



Mitologia

PLANETA SATURNO


SATURNO SÍMBOLO

Símbolo
" O seu símbolo, adotado desde a época romana, é a imagem imperfeita da foice do deus tempo - Cronos."
DEUS SATURNO
      
      Filho de Urano, Saturno depois de destronar o pai. Da união de Saturno com Réia, desta união nasceram Júpiter, Netuno, Plutão e uma filha Juno, irmã gêmea e esposa de Jupiter.Conta-se que Saturno foi destronado pelo seu filho Júpiter, reduzindo-se a um simples mortal, indo se refugiar na Itália.Em grego, Saturno é designado pelo nome de Cronos, que quer dizer o tempo. Saturno era geralmente representado como um velho curvado ao peso dos anos, erguendo na mão uma foice para mostrar que preside ao tempo. O dia de Saturno é o sábado (satumi dies), em inglês, saturday.

SUBIR


Conhecendo Saturno

PLANETA SATURNO

      Saturno é um planeta conhecido ha séculos pelas antigas civilizações. Galileo Galilei foi o primeiro astrônomo a observar com um telescópio o sistema de anéis de Saturno em 1610. Porém, ao observar a extremidade do sistema de anéis, pensou que se tratassem de duas luas como havia ocorrido com o planeta Júpiter. Mais tarde, por volta de 1655, o cientista holandês Christiaan Huygens, com um telescópio aperfeiçoado pode verificar que as duas luas que Galileo havia encontrado era um sistema de anéis e neste mesmo período descobriu a lua Titã, a segunda maior lua do sistema solar.
SATURNO GALILEO Galileo Galilei se torna o primeiro em observar os anéis de Saturno com o telescópio. Ele pensou que os anéis eram duas grandes luas na lateral do planeta. SATURNO HUYGENS Christaan Huygens propõe que Saturno era circundado por um anel sólido "um anel fino, plano, não tocando em nenhuma parte, eliptico e inclinado." SATURNO ANEL CASSINI O astrônomo Giovanni Cassini descobre uma abertura entre os anéis que receberia mais tarde o nome de Divisão de Cassini. O anel exterior seria chamado de A e o anel interno mais luminoso seria chamado o Anel de B.



Nome Saturno
Massa 5,69 . 1026kg
Diâmetro 120.660km
Distância: Saturno - Sol 1.427 milhões de km
Período de revolução (ano do planeta) 29,46 anos terrestres
Período de Rotação - duração do dia em Saturno (comparado com a Terra) 10,2 horas
Atmosfera (valores aproximados) 97% de Hidrogênio
3% de Hélio
0,05% de Metano
      Em 1671, uma segunda lua de Saturno chamada Japeto era encontrada pelo astrônomo italiano Cassini. Ele também descobriu em 1676, que Saturno possuía mais que um anel, isto é um par concêntrico de anéis. O terceiro anel foi descoberto por Johann Franz Encke em 1837 usando um telescópio no Observatório de Berlim.
      De todos os planetas do sistema solar nenhum deles apresenta uma beleza comparável ao planeta Saturno, seu sistema de anéis é único entre os planetas. As imagens que você pode ver nesta página dão bem uma idéia da sua beleza.
      Três sondas americanas passaram por Saturno. A primeira foi a Pioneer 11 em setembro de 1979, enviando as primeiras imagens do planeta. Ao aproximar-se do planeta, percebeu-se que o número de anéis era bem maior do que se imaginava. Em novembro de 1980, foi a vez da nave Voyager 1, enviando fotografias de boa precisão e revelando a complexidade dos sistemas de anéis e luas de Saturno. Em agosto de 1981 foi a vez a Voyager 2 que passou pelo planeta e suas luas.
      Recentemente os norte americanos e europeus, em uma operação conjunta enviaram a sonda Cassini-Huygens que deverá se encontrar com Saturno e sua grande lua Titã em 2004.

      Saturno quando é visto por um telescópio nota-se um achatamento nos seus pólos. Se medirmos o diâmetro do planeta na região do equador notaremos que é 10% maior que o diâmetro em relação aos polos. Este achatamento é típico nos planetas gasosos, como resultado da sua rotação rápida. Este fenômeno pode ser notado nos outros planetas conhecidos como gasosos; Júpiter, Netuno e Urano, porém não é tão acentuada como em Saturno.
      Como Júpiter, Saturno é um planeta gasoso, basicamente composto por hidrogênio, porém suas nuvens não são tão coloridas como as de Júpiter. A atmosfera de Saturno possui uma coloração mais sutil, no entanto os cientistas ficaram surpresos com a velocidade dos “ventos” que sopram na região do equador de Saturno.
SATURNO ATMOSFERA       Usando de técnicas especiais os cientistas reforçam certas cores em uma imagem para poder estudar alguns detalhes que em uma foto normal passaria desapercebida. Esta imagem nos mostra o hemisfério norte de Saturno, fotografada pela nave Voyager 1.
       Ela nos mostra uma variedade de cores das nuvens que estão no topo da atmosfera do planeta. Na região de coloração marrom claro podemos ver uma região de turbulência na atmosfera, e uma onda longitudinal é visível na região azul clara.
      Esta imagem não só nos mostra as regiões de turbulência mas também nos fornece informações de como estas tempestades evoluem com o passar do tempo, permitindo determinar a velocidade dos ventos atmosféricos. Em Saturno e nos outros planetas gasosos, os ventos sopram principalmente ao longo das faixas de latitude constante como é mostrado na figura pelas faixas coloridas. A medida que nos aproximarmos do equador de Saturno, os ventos sopram para o leste, no mesmo sentido pelo qual Saturno gira, a velocidades aproximadas de 1700km/h.
SATURNO ATMOSFERA Nesta outra imagem com as cores realçadas, vemos uma mancha vermelha, o que nos faz lembrar da grande mancha vermelha de Júpiter. Embora esta mancha vermelha de Saturno tenha dimensões muito menores, nos dá uma indicação da existência de tempestades ocorrendo na atmosfera de Saturno.

SATURNO TEMPESTADES

      Estas duas imagens são comparações de uma região localizada no norte do planeta. A imagem da esquerda foi enviada pela Voyager 1 no dia 5 de novembro de 1980. A foto da direita foi enviada pela Voyager 2 no dia 21 de agosto de 1981, quase um ano após. Notamos uma tempestade gigantesca ocorrendo na atmosfera de Saturno com uma diferença de um ano.
       Assim, como em Júpiter, algumas tempestades na atmosfera de Saturno são bastante longas, comparadas com as tempestades terrestres que são rápidas e pouco intensas. Através da utilização de contrastes é possível verificar a dimensão da tempestade e que direções elas tomam. Sob certos aspectos, estas características se assemelham a temporais gigantescos.
SATURNO TEMPESTADES       Esta imagem feita pelo telesópio espacial Hubble, nos mostra uma gigantesca tempestade ocorrendo na atmosfera de Saturno. A tempestade é a mancha clara no centro da imagem, próximo a região do equador do planeta.
       Para termos idéia das dimensões desta tempestade, sua extensão de leste para oeste, corresponde ao diâmetro da Terra.
       As nuvens brancas da tempestade são cristais de gelo de amônia que formam quando um fluxo de gases aquecidos sobem para o topo da atmosfera onde encontra as nuvens frias de Saturno.

       A densidade de Saturno é muito baixa, seu valor é de 0,7, inferior ao da água que é 1,0. Em função da sua densidade e volume é possível estimar a composição interna do planeta. Esta composição se assemelha a de Júpiter ou seja, possui aproximadamente 75% de hidrogênio e 25% hélio com rastros de água, metano, amônia e "rochas".
      Analisando Saturno, os cientistas acreditam que sua composição se assemelha muito com a fas inicial da Nebulosa Solar, que foi quem deu origem ao nosso sistema solar. Isto provoca no meio científico uma grande curiosidade em estudá-lo.
      A descrição do interior de Saturno possui uma grande semelhança com a de Júpiter. Na parte mais interna temos a região central, um " caroço rochoso". Acima da região central encontraremos o hidrogênio na forma líquida a uma grande pressão, nestas condições além de líquido torna-se um condutor elétrico, como qualquer metal, donde a designação de hidrogênio metálico. Esta forma exótica do Hidrogênio só é possível a grandes pressões como é o caso de Júpiter e Saturno. É um excelente condutor elétrico e provavelmente a fonte do intenso campo magnético de Saturno. finalmente teremos uma camada de hidrogênio na forma gasosa.

       A temperatura interna de Saturno deve ser elevada, algo como 12000K no caroço, e emite mais calor do que recebe do Sol, como ocorre com Júpiter. Porém o que intriga os cientistas é a sua alta luminosidade, o fato da temperatura interna ser muito elevada não é o suficiente para explicar este fenômeno, deve ocorrer outros mecanismos internos que ajudem na sua luminosidade.




Continuando a nossa viagem.....